Ateliê PETECANDO

Trabalhos em feltro, biscuit, origami…Porque nós amamos artesanato!


2 Comentários

Artesanato, um bom produto a oferecer?

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Este é o segundo post da série Vivendo de Artesanato. Hoje vou falar da importância de se oferecer um bom produto artesanal.

Primeiramente, precisamos ter em mente que a palavra “artesanato” ganhou um sentido pejorativo ao longo do tempo. Quando pensamos em artesanato, muitas vezes lembramos de algo “facinho de fazer”. Algo que qualquer pessoa, mesmo que não entenda de artesanato, consiga executar depois de ver num programa de tv, ou mesmo num tutorial na internet.

Até aí não há grandes problemas, porque algumas peças são realmente simples de se fazer, e os tutoriais, PAPs, DIY, etc, estão aí justamente pra que todos tenham acesso e oportunidade de fazer. 

O problema é quando as pessoas começam a entrar no mercado do artesanato sem desenvolver muito bem a técnica e acaba oferecendo produtos de baixa qualidade.

Talvez seja por isso que a gente escute aquelas conversas: “Ah! Não fica um igual ao outro, porque é artesanal, né? Isso é bom, cada peça é uma peça única!”

Não, não é bem assim. Quando eu falei que a palavra “artesanato” ganhou um sentido pejorativo, foi isso que eu quis dizer. Pra muita gente, artesanal é sinônimo de mal feito, infelizmente. E quem trabalha com artesanato tem que trabalhar duro pra provar que seu trabalho tem qualidade.

Quando você compra lembrancinhas artesanais para uma festa, talvez não sejam todas idênticas, mas precisam seguir um padrão, certo? Não é legal que fique tudo torto, um bracinho menor do que o outro, gotas de cola quente onde não deveriam estar, etc, etc, certo? As coisas têm que seguir um certo padrão. Isso é qualidade.

Quando minha tia começou a trabalhar com biscuit, ela fazia todas as vaquinhas de ímã de geladeira ficarem exatamente iguais. Ela não usava forma, moldava tudo à mão, mas media cada perninha, pesava todas as partes do corpinho numa balança, usava materiais apropriados, e tudo ficava padronizado.

Padronizar, é organizar a sua forma de trabalho. É usar um molde pra cortar peças iguais, é usar materiais de qualidade e é, muitas vezes, desmanchar ou descartar um produto que não tenha ficado bom. Sim, mesmo que tenha dado o maior trabalho pra fazer.

Isso não impede que você tenha variedade de produtos, nem impede que você tenha peças exclusivas. Fazer peças “tortas”, sem padrão, não é legal, a não ser que seja sua intenção e tenha um bom motivo pra isso (vai saber, né?).

Então é isso, essa é a minha dica. Se você é artesão e vende seus produtos, procure sempre oferecer produtos de qualidade. Se você faz artesanato por hobby, aproveite que não tem compromisso com prazos, e tente dar o seu melhor em cada peça, e o resultado será muito mais satisfatório!

Obrigada pela leitura. Se você gostou ou tem alguma dúvida, ou quer compartilhar sua experiência, deixe seu comentário!

Beijos e até a próxima.

Bruna

 

 

Anúncios